Service95 Logo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Issue #033 Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo
Image of the book cover of All The Women In My Brain by Betty Gilpin

Betty Gilpin está se encontrando, capítulo por capítulo

Se há uma coisa que Betty Gilpin adora, é uma metáfora. Por exemplo, na sua nova coleção de ensaios All The Women In My Brain: And Other Concerns, a atriz – mais conhecida pelo trabalho na adorada série Glow da Netflix – descreve um parceiro sexual como um “javali cego de ketamina que adorava cocaína em uma sala cheia dela”. 

“Penso e falo muito em metáforas, para desgosto do meu marido, terapeuta e pessoas amadas que querem me entender”, diz ela pelo Zoom. “Sei que é indireto e confuso, mas ajuda as coisas a fazerem mais sentido no meu cérebro. Pensar de uma forma surreal, mística e alegórica torna tudo mais compreensível para mim.”

Isso está alinhado com o motivo pelo qual ela é adorada pelos fãs: na última década, Betty se tornou uma empolgante especialista em retratar mulheres complexas na TV e no cinema. Em Glow, ela interpreta uma ex-atriz de novela estressada que, com o rosto maquiado e o cabelo escovado, se transforma em uma típica Miss sulista dos EUA nos ringues de luta livre. Com All The Women In My Brain, Betty mostra a briga com as várias personalidades que vivem dentro dela: a Barbie bem cuidada e pronta para o Instagram contra a filha de Salem, que é anarquista e selvagem. Ela anuncia de início que esta não é a típica “autobiografia de ator”, mas um mergulho na natureza filosófica da atuação e no significado de entrar e sair de identidades como profissão. Betty construiu uma carreira sob medida para si mesma – uma nerd fã de Shakespeare, durona e bombástica, que já sofreu nas mãos de equipes de elenco que buscam encaixar as mulheres em moldes fáceis.

Guiando sua jornada está um grupo de “mulheres mentais”: uma coleção de personas como Joni McLamb (o “eu” sensível) e Blanche VonFuckery (o lado equilibrado e glamouroso). Essas figuras têm origem na suposição de Betty de que, embora outras pessoas tenham um forte senso personalidade, ela está presa experimentando identidades diferentes. “Quando não sou um desses “eus” circulares, ou uma personagem na história de outra pessoa, quem sou eu no vácuo?” “Ninguém? Sou apenas uma coleção de pessoas diferentes? Como se não bastasse, fiz disso uma carreira: ser uma coletânea de pessoas diferentes.”

Seu próximo projeto nas telas é uma adaptação de outro livro que estuda o caos da vida interior das mulheres. Baseada na obra íntima de não ficção de Lisa Taddeo, Três Mulheres, Betty interpreta Lina, uma mulher estuprada na adolescência que, mais tarde, tem um caso durante seu casamento infeliz. É a mesma autodesconstrução que Betty faz na sua escrita. Como Lina, ela libera “seu eu verdadeiro de atriz de papéis complexos”. Ela descreve a personagem como um cruzamento entre “Mare of Easttown e Shirley Temple, que interpreto rejeitando deliberadamente a persona que agrada às pessoas para favorecer um retrato mais cru”. Betty vai embora, me deixando desvendar esta outra metáfora. 

Esther Zuckerman é jornalista de entretenimento e tem trabalhos publicados em Thrillist, Entertainment Weekly, Vanity Fair e Refinery29

← Back

Thank you for subscribing. Please check your email for confirmation!
Invitation sent successfully!

Please check your email for a reset password link!

Subscribe